Justiça decide em 2ª instância pelo reconhecimento do vinculo empregatício de motorista da Uber

O maior risco jurídico do modelo de negócios dos App’s de transporte de pessoas aumenta com o recente julgado do TRT-SP que reconheceu o vínculo empregatício do motorista do UBER. Foi a primeira derrota de um App dessa categoria em segunda instância no Brasil. O processo pode chegar ao TST (Tribunal Superior do Trabalho) e criar forte jurisprudência para todos os motoristas que utilizam a plataforma.

Diante desse cenário, faz-se importante a assessoria jurídica para prevenir e mitigar os riscos juridicos presentes no plano de negócios e atividades das Startups. A elaboração de alterações e adaptações em parceria com os empreendedores pode salvar um projeto promissor.

https://www1.folha.uol.com.br/colunas/mercadoaberto/2018/08/justica-decide-em-2a-instancia-que-motorista-da-uber-deve-ser-seu-empregado.shtml

Sucesso!

Ocorreu um erro, Por favor, tente novamente

O Reis de Sá usará seus dados com seu consentimento e exclusiva finalidade de promover o compartilhamento de conteúdos jurídicos em respeito as normas da GDPR e LGPD.

Receba nossos artigos e E-books